Compartilhe isso:

O Festival Kolirius Internacional vai reunir em Macaé artistas urbanos e muralistas nacionais e de outros países do dia 29 a 31, como parte da comemoração cultural do aniversário da cidade, que completa 209 anos em 29 de julho. 

Durante três dias, a Rua Silva Jardim, no Centro, ficará fechada das 8h às 18h, para que a população possa apreciar de perto a execução dos painéis da Street Art. Mais de 40 artistas irão participar e deixar impressas em um dos muros do Colégio Estadual Luiz Reid suas marcas autorais, renovando o visual no trecho entre as ruas Teixeira de Gouveia e Francisco Portela.

Em sua 11ª edição, o Kolirius Internacional promete vir com tudo e surpreender os apreciadores da arte urbana por meio de abordagens inspiradas no meio ambiente. Será uma exposição coletiva construída com explosão de cores, grandiosa em extensão e talentos, que pode ser vista no momento exato da criação de cada obra. O resultado final impacta os observadores e desperta não só a admiração, mas também a momentos de reflexão. Crianças que se destacam na arte iniciada com o graffiti, estarão de forma inédita no elenco do festival, em sua versão Kolirius Kids.  

O secretário de Cultura, Leandro Mussi, representando a prefeitura de Macaé, elogia: “O Kolirius é um festival de grande importância como fomento cultural, e serve também de incentivo aos jovens por ser um presente muito especial, construído por renomados muralistas nacionais e internacionais, a ser entregue nas mãos dos macaenses no dia do aniversário da cidade. Um brinde aos olhos!”.

Autor de grandes murais em pontos turísticos do Rio de Janeiro e São Paulo, o macaense Marlon Muk é quem organiza o Kolirius Internacional reunindo as maiores feras da Street Art. Dentro do evento, está programada ainda uma exposição de sete telas assinadas por destaques, que será aberta à visitação no dia 29,colorindo o hall do Centro Macaé de Cultura, onde permanecerá duas semanas.

Sobre as imagens que darão vida nova ao muro do Colégio Luiz Reid, ele faz ar de mistério, aguçando a curiosidade dos futuros visitantes: “Quem for conferir nosso festival terá a oportunidade de ver o excelente nível de trabalho e a qualidade dos muralistas, e ainda, de ter a chance de conversar pessoalmente com eles e se encantar com os traços criativos das obras. O festival é também uma forma de inspirar novos talentos”, garante Muk.

O Festival Kolirius, assim como a exposição, é uma contrapartida do artista macaense para o Governo do Estado do Rio de Janeiro, viabilizado pela Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Estado do Rio de Janeiro, através do edital Retomada Cultural RJ 2, nomeado como 11ª Edição Kolirius Internacional.

You may also like

More in Notícias

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.